• Por uma ética ecológica

    Por uma ética ecológica

    Eu não conhecia Ailton Krenak, que ainda não era imortal, quando ele publicou as Ideias para adiar o fim do mundo. Fui pesquisar, e achei foto daquela cena inesquecível na Constituinte. Mas queria palavras, e encontrei artigos e entrevistas. Uma, muito boa, me chamou a atenção, mas não por boa: nela encontrei uma fala que…

    CONTINUAR LENDO

  • Paisagem com chuva

    Paisagem com chuva

    No primeiro plano, o gramado. Nele, bem próxima, quase invisível, a roseira morta, lembrança que permanece. Depois, da esquerda para a direita, pés de guabiju, guabiroba, jabuticaba e araçá amarelo, todos com cinco anos. A jabuticabeira, coitada, está se recuperando: por não ser deste clima, sofreu com as geadas, mas o El Niño lhe deu…

    CONTINUAR LENDO

  • A flor do baobá

    A flor do baobá

    Este da foto é um baobá, voltando a florescer após 50 anos, certo? Errado: o baobá não demora 50 anos para florescer e suas flores, muito menores, não se parecem com estas. Por que, então, tantos amigos que tenho por críticos compartilharam a imagem, criada por inteligência (?) artificial, muitos deles louvando a beleza das…

    CONTINUAR LENDO

  • A avó da Silvana Moura

    A avó da Silvana Moura

    Minha vó mandou desamigar do todos que defendem Israel. Achei de rara felicidade essa publicação, que diz de modo jocoso algo que já pensei tantas vezes em dizer. Se não o fiz, foi porque me faltou o tom, esse que a vó da Silvana – ou ela própria – soube dar. Desamigar é sempre um…

    CONTINUAR LENDO

  • Desacato

    Desacato

    Entregador negro é ferido com uma faca por homem branco, chama a polícia e é preso por desacato e resistência. É a informação que circula nas redes sociais, com vídeos do acontecido. Em minha profissão, já apreciei muitas acusações de desacato de policiais militares contra pessoas negras e pobres. Talvez o melhor modo de contribuir…

    CONTINUAR LENDO

  • Silêncios

    Silêncios

    Elegia às crianças israelenses mortas no 7 de outubro, barítono e mezzo soprano acompanhados por piano na Ópera de Israel. Um amigo a publicou, uma semana depois de Israel atacar o Hospital Árabe Al-ahli, com centenas de mortes. Em Gaza não há óperas. Outra amiga, muito querida, pediu aos amigos não judeus que se posicionassem…

    CONTINUAR LENDO

  • A seriema subiu no telhado

    A seriema subiu no telhado

    Eu e o passaredo à minha frente: só nós. Mas surge um novo personagem, anunciado por passos que se aproximam. A intuição desvia meu olhar para o ponto em que, no mesmo instante, um pescoço curioso se estica por trás do telhado da cozinha.

    CONTINUAR LENDO

  • Harvard e o Anchieta

    Harvard e o Anchieta

    Organizações estudantis de Harvard tiveram a ousadia de se manifestar em defesa dos direitos dos palestinos. A resposta não tardou: bilionários anunciaram que vão cortar doações à universidade. Alguém duvida que a reitoria já está se esforçando para calar os estudantes? Quando li o parágrafo acima, em artigo de Luís Felipe Miguel, pensei: Anchieta. Não,…

    CONTINUAR LENDO

  • Declaração de voto

    Declaração de voto

    Voto pela Constituição que jurei defender. Voto pelo Estado Democrático de Direito, por uma sociedade fraterna, pluralista, sem preconceitos, justa e solidária. Voto pela independência e harmonia entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Voto pela erradicação da pobreza e da marginalização e pela redução das desigualdades sociais e regionais. Voto pelo bem de todos,…

    CONTINUAR LENDO

  • A urna e o cordeiro

    A urna e o cordeiro

    Eleições. Há 40 anos as acompanho de perto, de enxergar as urnas. Foi em 1982, numa eleição para vários cargos, em que a sensação era o voto para governador, admitido por uma Ditadura já enfraquecida. Com eleição para vários cargos, a apuração se arrastou por mais de uma semana, mas já no início Simon jogou…

    CONTINUAR LENDO

  • Torcer pelos indígenas

    Torcer pelos indígenas

    Há alguns dias, aconteceu em Brasília um encontro improvável: lá já estavam milhares de indígenas à espera do julgamento do marco temporal, quando chegaram as hordas bolsonaristas, em grande parte financiadas pelo agro, para a tomada do poder. Que o golpe ao final não tenha saído é detalhe a que não me deterei; também não…

    CONTINUAR LENDO

  • Cara, coroa

    Cara, coroa

    Confesso que fiquei tentado a escrever sobre as 271 vezes que deu cara, coroa, cara, coroa e como isso corresponde à quantidade de átomos da Terra, mas o assunto é sério demais para fazer brincadeira.

    CONTINUAR LENDO

  • Vocação

    Vocação

    Vocação. É uma palavra que tenho gravada no mais fundo da memória. Talvez a tenha conhecido nos tempos de missas obrigatórias, em que não faltavam orações pelo aumento das vocações sacerdotais. Naqueles meus primeiros anos, a imaginação flertava com a existência de um chamado divino, que revelaria aos escolhidos sua missão de conduzir o rebanho…

    CONTINUAR LENDO

  • Jorge, o sábio

    Jorge, o sábio

    O Jorge era um cara que pegava junto. Sempre disposto, era pau pra toda obra. Não gostava de ler nem discutir política, era tarefeiro e se orgulhava disso. Um dia me chamou, tinha uma coisa séria pra tratar. Disse: eu não gosto de teoria, isso é com vocês, eu quero botar a mão na massa,…

    CONTINUAR LENDO

  • Negro não é gente

    Negro não é gente

    Negro não é gente, sentenciou Luzia, pouco antes da execução. Domingo de tarde, faço a leitura tardia d’O Continente, ao lado do computador que, de tanto em tanto, me informa como vai o Grenal. Em alguns momentos, volto à tela antes mesmo que me informe o lance seguinte; já em seguida, Érico me prende a…

    CONTINUAR LENDO

  • As palavras perdidas

    As palavras perdidas

    Não sei precisar quando, mas perdi as palavras. De início, não percebi: sentava, iniciava um parágrafo, às vezes chegava ao segundo, e nada fluía. Logo – como acontece neste momento – sentia vontade de fugir, e fugir significava me perder pela internet ou me esquecer num jogo viciante. Passada meia hora, voltava ao texto iniciado…

    CONTINUAR LENDO

  • As covas

    As covas

    Uma imagem vale mais que mil palavras. A máxima foi novamente confirmada hoje, com a capa do Washington Post, na qual se veem dezenas de covas abertas num cemitério de São Paulo, enquanto se realiza um enterro, no qual os funcionários usam roupas de proteção.

    CONTINUAR LENDO

  • Pensando na quarentena

    Pensando na quarentena

    A gripe espanhola aconteceu há cem anos, e matou dezenas de milhões de pessoas (50, 100?), num mundo cuja população era de 1,8 bilhões. Morreu entre 3 e 5% da população do planeta. Hoje uma pandemia que aponta número muito menor de mortes paralisa o mundo. Para comparar, mesmo a assustadora projeção de quase 500…

    CONTINUAR LENDO

  • Arquivo morto

    Arquivo morto

    Foi há alguns meses. Numa frase de duas linhas, responsabilizei os eleitores dele pelas queimadas da Amazônia. Houve quem retrucasse, e, surpreendentemente educado, um deles, após argumentar que a queimada se repetia da mesma forma em todos os governos, acabou se saindo pela tangente, com esta: “Devemos combater um problema de cada vez. Você notou,…

    CONTINUAR LENDO

  • Como se fossem pessoas normais

    Como se fossem pessoas normais

    Não vejo televisão, pouco assisto do noticiário. Cada vez mais, fujo dos discursos oficiais. Quando compartilham qualquer coisa, dizendo olha que absurdo, desvio o olhar. Por isso, só li o pronunciamento do Secretário da Cultura, Roberto Alvim, na centésima vez em que fui interpelado a fazê-lo.

    CONTINUAR LENDO

  • Boa viagem

    Boa viagem

    Negro, andrajoso, cambaleante. Estou a três passos. Ele vem, me diz algo em voz arrastada. Desvio, e ele: ô-ô-ô, me responde! Me volto, e ele: onde eu tô? Tá numa parada!

    CONTINUAR LENDO

  • Quem é assassino?

    Quem é assassino?

    O desembargador decidiu que Marcelo D2 não pode chamar Doria de assassino. Há um ano, Doria disse que a polícia atiraria para matar. Foi uma fala até comedida, porque na mesma época Witzel, aquele que comemora a morte como se fosse um gol, disse que a polícia miraria na cabecinha. O fato é que a…

    CONTINUAR LENDO

  • O desembargador e o conselheiro

    O desembargador e o conselheiro

    Dois fatos da semana me levaram a pensar sobre o quanto pode haver de surpreendente e o quanto de trivial numa notícia. São acontecimentos absolutamente distintos, exceto pelo fato de serem retratos fiéis do que é o Brasil. Se submetida ao critério do ineditismo, a morte de jovens de periferia em um baile funk seria…

    CONTINUAR LENDO

  • Parei de escrever

    Parei de escrever

    Fui a uma reunião, e ouvi, após me identificar na recepção: parou de escrever. Me vieram várias respostas, que não dei. Podia ser: escrevo sim, só reduzi a frequência. Ou: escrevo, mas o Facebook não me ajuda na divulgação. Ou ainda: relaxei, porque dei prioridade para um projeto ambiental. Ou, quase mal educado: pararam de…

    CONTINUAR LENDO

  • O teste

    O teste

    Em 2016, integrei um grupo de operadores jurídicos, então denominado Resistência Constitucional, que realizou alguns eventos públicos em defesa da democracia e contra o golpe então em marcha. Num deles, reunimos Marcelo Lavenère, Lênio Streck e Pedro Estevam Serrano, num ato público que levava justamente este nome: Resistência Constitucional. Pois desde ontem tenho pensado nesse…

    CONTINUAR LENDO

  • Lado A, lado B

    Lado A, lado B

    Lado A A semana que terminou com Lula Livre havia iniciado com os megaleilões do pré-sal. Ao final fracassada, a tentativa de venda do filé do pré-sal foi mais um capítulo da política, iniciada logo após o golpe, de privatização e desnacionalização das maiores riquezas nacionais. Sob esse aspecto, Bolsonaro apenas continua, e aprofunda, a…

    CONTINUAR LENDO

  • Em qual casa?

    Em qual casa?

    Um homem e uma mulher. Os conheço da rua, o suficiente para um bom dia, às vezes um faz calor ou vai chover. Para ser exato, conheço um e conheço a outra, porque, ao contrário do que aconteceu agora, não os vejo juntos. Me preparei para o cumprimento protocolar, mas, não encontrando seus olhares e…

    CONTINUAR LENDO

  • O Judiciário pós-democrático

    O Judiciário pós-democrático

    Como o Judiciário chegou a esse ponto? Foi a primeira pergunta da entrevista. Olhei surpreso para o pesquisador, mas ele não me ajudou: cabia a mim responder também qual era o ponto. Demorei a engrenar, falei muito e certamente não disse tudo. Escrevendo aqui, talvez lembre um pouco do que disse, esqueça outro tanto e…

    CONTINUAR LENDO

  • A dedicatória

    A dedicatória

    Dedico esta foto a você, que votou nele. Sim, é para acusar tua cumplicidade. Mas é principalmente para te desafiar a tomar uma atitude. Postei estas palavras em 21 de agosto, acompanhadas da foto do tamanduá cegado pelo fogo. Como sou habitante de uma bolha, a quase totalidade dos comentários que se seguiram fez coro…

    CONTINUAR LENDO

  • As árvores da Etiópia

    As árvores da Etiópia

    350 milhões de árvores. Ou, para ser mais preciso, 353.633.660 mudas. Foi o que a Etiópia plantou em apenas 12 horas, batendo o recorde mundial. Segundo o noticiário, a ação faz parte do programa Legado Verde, cujo objetivo é plantar 4 bilhões de mudas até outubro, e integra o compromisso assumido por 28 países africanos…

    CONTINUAR LENDO

  • Vinte degraus

    Vinte degraus

    Saio do Alim Pedro em direção à Praça Chopin. Lá adiante, descendo por detrás do Becker, caminha no mesmo sentido uma velhinha quase obesa, negra. Com a mão direita se segura nas grades, na esquerda um grande guarda-chuva preto serve de bengala. Talvez moradora do bairro, mais provavelmente usuária do Postão.

    CONTINUAR LENDO

  • Abismo

    Abismo

    Voltei a uma vara de família, a mesma de onde saí há quatro anos. Foram três semanas e dezenas de audiências, principalmente em ações de alimentos. No início pensei: quatro anos, e nada mudou. Passaram os dias, e passei a perceber diferenças. Nada estatístico, tudo sentir. Talvez um sentir alimentado por uma memória falha, empenhada…

    CONTINUAR LENDO

  • Garrincha e Feola

    Garrincha e Feola

    Naquela época heroica não existia a profusão de câmeras que mostram cada detalhe do jogo. Havia uma só, e ela precisava acompanhar a bola. Por isso, nunca se viu o sono de Feola no banco, enquanto a seleção canarinho passava por seus adversários. Feola dormindo no banco é uma das muitas histórias que contam sobre…

    CONTINUAR LENDO

  • O grande vazamento

    O grande vazamento

    16 de março de 2016. Foi o dia em que um juiz abalou a República, ao entregar para a Globo a gravação de diálogo telefônico entre Dilma e Lula. Na noite desse 16 de março, ouviu-se, vinda das janelas da classe média, a trilha sonora para a voz com empostação solene, que Bonner reservava aos…

    CONTINUAR LENDO

  • Entrem em pânico

    Entrem em pânico

    Eu não os quero esperançosos. Eu os quero em pânico. Quero que sintam o medo que eu sinto todos os dias. E então quero que ajam como numa crise. Quero que ajam como se a casa estivesse em chamas. Porque ela está. Estas palavras são de Greta Thunberg, a adolescente sueca, portadora da Síndrome de…

    CONTINUAR LENDO

  • O velho, o diabo e o Supremo

    O velho, o diabo e o Supremo

    Eu deveria estranhar. Mas não estranho. E não por ter atingido a idade provecta do diabo, que sabe por velho, mas pelo que tenho visto nestes últimos anos, em que tudo o que era já não é mais. Os poderes desnudos revelam coisa bem diferente – e mais assustadora – que a vaidade tola do…

    CONTINUAR LENDO

  • Mina da nossa miséria

    Mina da nossa miséria

    De Getúlio a Dilma, atravessamos vários períodos de aposta no desenvolvimento nacional, não subordinado ao grande capital internacional, principalmente o americano. Não foi sempre um projeto de governos democráticos nem necessariamente de esquerda, basta ver que um dos pontos altos dessa política aconteceu no Governo Geisel. Falar em desenvolvimento na segunda década do século XXI…

    CONTINUAR LENDO

  • Alta traição

    Alta traição

    Julian Assange foi preso. Expulso da embaixada do Equador em Londres, na qual estava asilado há quase sete anos, o fundador do WikiLeaks foi entregue para a polícia inglesa. Seu provável destino são os Estados Unidos, onde provavelmente será acusado por alta traição. E não é sem motivo: há dez anos o WikiLeaks vem vazando…

    CONTINUAR LENDO

  • Não é engano

    Não é engano

    Noite de domingo. Chego em casa e verifico as postagens. Logo me chamam a atenção três vídeos curtos com um jovem negro em alguma esquina de São Paulo. No primeiro, ele é revistado de modo humilhante por um policial militar, enquanto outro policial acompanha a cena com revólver em punho; no segundo, os policiais se…

    CONTINUAR LENDO

  • Ruas lavadas de sangue

    Ruas lavadas de sangue

    Quando, no futuro, alguém escrever a crônica das sandices proferidas nesta época, teremos uma demonstração prática do que é uma tragicomédia. Ou então, na melhor linha trash, de um filme do gênero terrir. Mas isso só na crônica do futuro, porque hoje, quando vivemos os tempos de que o cronista tratará, e ainda que nossa…

    CONTINUAR LENDO

  • Réquiem para meu amigo

    Réquiem para meu amigo

    Querido amigo: Estou aqui imerso em lembranças. Uma delas sobressai, por ela sempre começo e termino. Depois de ter uma ideia genial (sempre tinha ideias geniais), te encontrei de manhã, eu lendo o jornal, tu já em incessantes atividades, e chamei enquanto passavas: que achas de fazermos tal coisa (a ideia genial)? E tu: então…

    CONTINUAR LENDO

  • Carta para Lula

    Carta para Lula

    Caro presidente Lula: Há alguns meses sugeriram que as pessoas lhe mandassem cartas ou enviassem livros, como modo de fazer ver que há brasileiros que se preocupam com sua situação. Pensei em escrever alguma coisa, mas não consegui: geralmente tenho dificuldade para pronunciar palavras de conforto e com certeza muitos escreveram linhas mais alentadas do…

    CONTINUAR LENDO

  • Era uma vez um país pacífico

    Era uma vez um país pacífico

    O Brasil é um país pacífico. Cresci ouvindo esse conceito, a um tempo aplicável à nação e aos nacionais. A natureza afável do brasileiro, geralmente afirmada de modo associado com uma não tão lisonjeira indolência, correspondia coletivamente a uma vocação brasileira para a paz. A participação brasileira na Segunda Guerra não contava, porque o propalado…

    CONTINUAR LENDO

  • A figueira

    A figueira

    Após iniciarem como uma desagradável obrigação, logo as caminhadas diárias se revelaram prazerosas, e não só por causa da frase, antes incompreensível, que via em adesivos: viciado em serotonina. O fato é que a caminhada se dá em cenário vedado aos sedentários, e dele retiro sensações de outro modo inalcançáveis. O Alim Pedro, onde há…

    CONTINUAR LENDO

  • Medo, surpresa, emoção

    Medo, surpresa, emoção

    O pacote anticrime do nosso Ministro da Justiça traz tudo o que se pode esperar de um governo de extrema direita: endurecer, endurecer, endurecer. Muitos já fizeram seus comentários e mostraram as consequências que dele virão: prender, cada vez mais, os mesmos de sempre, os pretos e os pobres, que breve conhecerão os presídios na…

    CONTINUAR LENDO

  • Carta à Panvel

    Carta à Panvel

    Senhor Presidente: Sou cliente da Panvel, com cartão e tudo. Se mais não compro, é porque felizmente não cheguei ainda àquela idade em que a maior parte da nossa poupança é destinada a medicamentos. Mesmo assim, são décadas de fidelidade, que vem desde a época da Panitz e da Velgos. Para que tenha uma ideia,…

    CONTINUAR LENDO

  • Desastre

    Desastre

    Algumas coisas não estão claras. Não está claro se a Globo ressuscitou o jornalismo investigativo ou se está apenas usando seus fortes argumentos para convencer Bolsonaro de que talvez o mais prudente seja continuar a lhe destinar uma grana preta em publicidade. Também não está claro se o que vem sendo revelado é apenas extorsão…

    CONTINUAR LENDO

  • Apesar de comunista

    Apesar de comunista

    Fui elogiado. A notícia me veio truncada, e o que sei é que fui assunto numa conversa entre terceiros, na qual, provavelmente diante de alguma alusão do interlocutor ao meu radicalismo, o amigo me defendeu, dizendo que, mesmo comunista, eu era uma pessoa de diálogo e bom senso. Não posso negar que fiquei envaidecido com…

    CONTINUAR LENDO

  • Direitos Humanos na resistência

    Direitos Humanos na resistência

    Em Curitiba, mais de duzentos lares foram destruídos pelo fogo após ação policial; na Paraíba, dois líderes de uma ocupação do MST foram executados. Isso aconteceu em intervalo de poucas horas, dois dias antes da comemoração dos 70 anos da Declaração Universal de Direitos Humanos. Faz tempo que isso não é novidade num país antes…

    CONTINUAR LENDO

  • Queimada

    Queimada

    De manhã, um policial morreu. De tarde, a polícia invadiu. De noite, a vila queimou. Foi a polícia, dizem os moradores. Foi o tráfico, diz a polícia. Trezentos barracos. Não sobrou um.

    CONTINUAR LENDO